terça-feira, 28 de setembro de 2010

Pais e filhos, e sem nenhuma referência à Legião Urbana...

Hoje, em uma conversa com uma colega de trabalho na hora do café, estavamos comentando sobre a impressão que tínhamos de nossos pais quando éramos mais novos.
Quando eu tinha 5 anos, meu pai tinha 28 anos. Era casado há pouco mais de seis anos. Ele tinha apenas um ano a mais do que tenho hoje. Mas quando me lembro, me parece que ela era bem mais maduro do que sou atualmente, apesar da mínima diferença de idade.
Nossos pais nos passavam a impressão de sempre saber o que estavam fazendo. Tinham todas as respostas para todas as nossas perguntas. Não tinham medo de nada, eram destemidos, valentes e fortes.
Eu não me imagino sendo pai de um filho de cinco anos como meu pai era na minha idade. Tenho a impressão que ele tinha o dom, havia nascido para ser pai.
E a triste constatação: depois que crescemos, percebemos que eles não eram tão sábios ou fortes. Erravam muito e, em alguns momentos, não tinham a menor idéia do que estavam fazendo.
Eles tinham medo, eram pais, não podiam deixar transparecer suas fraquezas e temores. Apenas precisavam fazer o que era preciso.
Hoje, para quase tudo que eles fazem, eles me consultam. Pedem minha opinião e acatam o que digo, muitas vezes, sem nem ao menos questionar. Eles pensam que sei mais do que eles...
Ah, se eles soubessem que não sei ser pai de alguém, como eles foram meus pais, perceberiam que, na verdade, sei tão pouco quanto eles.
Se nos aproximassemos mais, saberíamos que nós todos temos medo. Sofremos, sentimos, choramos de igual maneira. Teríamos a certeza de que nossos pais nada mais são que nós mesmos, só que mais velhos e com mais erros na bagagem.
Deveríamos saber que somos tão pais como os nossos próprios pais.

3 comentários:

Alex disse...

Realmente vc.fala de um ponto que precisa ser muito mais explorado ,o relacionamento humano ,mais aproximação ,mais conversas ,mais troca de experiências...Partindo sempre da Familia ,a nossa base.Um abraço...

disse...

O difícil de ser adulto, não são as responsabilidades que ganhamos com a idade, e sim, a percepção de que nossos pais não são heróis. São tão humanos como nós! Dói perder uma ilusão...

Ah, e discordo que não haja nenhuma referência ao Legião. Esta frase da música resume bem o teu post:
"São crianças como você... O que você vai ser quando você crescer?"

Beijo, saudade do amigo!

Samantha disse...

Concordo com seu texto, só discordo qndo vc diz que não saberia ser pai de uma criança...Vc foi pai(ou um irmão mais velho bem diferente...)