quinta-feira, 29 de julho de 2010

Fidelidade...

Atualmente, a vida tem me pregado algumas surpresas agradáveis e que, devido a peculiaridade, não tenho feito o menor esforço para tentar entender.
Nunca levei muita fé naquele papo de que se tu tentar seguir um caminho correto, provavelmente os benefícios seriam proporcionalmente iguais ao tamanho do esforço despendido para se manter, no que por consenso, é considerado o melhor jeito de seguir a vida.
Em conversa com um colega de faculdade dia desses, ele observou algumas mudanças de atitude em mim, o que o fez questionar o que ocorreu, e se essa mudança era fruto de algum fato específico.
Rapidamente, resumi um pouco das coisas que tenho vivído nos últimos tempos. Todas as mudanças ocorridas neste insano ano de 2010.
Mas o ponto que quero abordar é que, por conta de uma frase que disse no meio desta conversa, deixei este meu amigo abismado, como se o que eu acabara de dizer fosse alguma descoberta impressionante, ou um segredo nunca antes revelado. O que eu disse foi simples: "na vida, devemos fidelidade somente a nós mesmos".
Eu sempre tentei ser fiel a minha maneira de lidar com a vida, mesmo que muitas vezes isso possa não parecer certo às outras pessoas.
E talvez esse seja o paradoxo difícil que muitas pessoas não entendem. Um cara que trai sua mulher, pode estar sendo fiél a si próprio, assim como um cara que nunca traiu sua esposa pode ter cometido o pior ato de infidelidade consigo.
Hoje, depois de um longo período de traição, me sinto leve e feliz. Me rendi definitivamente a ser fiél a princípios meus, que há muito tempo eu havia deixado de lado.
Mentir para os outros é ruim. Mentir a si próprio é a pior demonstração de covardia que uma pessoa pode se impor. Hoje estou feliz. Sou um cara fiel a mim mesmo.

Um comentário:

Penélope disse...

Caraca, achei que eu era um dos únicos seres que pensava dessa forma. Mas que bom que não estou sozinha nesses pensamentos e idéias "anormais".

O importante é sermos nós mesmo, mesmo que seja estranho ou incomum.